Como passar em Medicina no vestibular Como passar em Medicina no vestibular

Como passar em Medicina no vestibular

Entrar em uma faculdade de Medicina é o sonho de muitos estudantes, mas nem sempre é uma tarefa fácil e, em alguns casos, exige anos de estudo e tentativas até conquistar a sonhada vaga. Este é um curso que costuma ser o mais disputado dos vestibulares e das seleções que usam o Enem como critério de seleção.

Por isso, para ingressar na universidade é necessário traçar um plano de estudos diferenciado e se dedicar a isso. Para alguns ainda é necessário fazer cursinho pré-vestibular para se preparar para as provas.

Seu sonho é fazer Medicina? Vem que aqui vamos te dar dicas de como passar no vestibular e te incentivar nessa importante jornada. Continue a leitura!

Medicina é para mim?

Medicina é uma das carreiras mais antigas e tradicionais. Por ser conhecida por todos, parece que essa profissão dispensa maiores explicações. Porém, isso muda quando se trata de alguém que está pensando em se tornar médico.
E para quem se encaixa nesse caso, este é o momento de pesquisar a fundo mais informações sobre o dia a dia da profissão, o curso e os possíveis caminhos que um médico pode seguir no mercado de trabalho. Confira a seguir alguns pontos que devem ser levados em consideração e que você precisa saber para descobrir se Medicina é realmente para você.

Conheça a estrutura do curso

Pesquise sobre a estrutura do curso que você quer fazer. Vendo as matérias obrigatórias e como o curso é dividido é possível ter uma noção de como será a faculdade e se você gosta do que está sendo proposto.

No caso de Medicina, normalmente o curso é dividido em três etapas: os dois primeiros anos com matérias básicas, como Anatomia por exemplo, os dois seguintes com contato com pacientes em exames e diagnósticos e nos anos finais, os alunos aprendem a parte clínica na prática.

Observe o mercado de trabalho

As possibilidades de carreira para um futuro médico são diversas. É possível optar por trabalhar em hospitais, ter a sua própria clínica, atuar como médico do trabalho em empresas e até ir para o lado acadêmico sendo pesquisador na área.

Com possibilidades tão diferentes, o ideal é conversar com profissionais que já atuam na área para ter uma ideia de como o mercado funciona na prática. Outra dica que pode te mostrar um pouco como é a rotina médica é assistir a séries e filmes que retratam o dia a dia dos profissionais. Apesar de não serem histórias reais, elas podem dar uma boa noção de como será no futuro.

Descubra as habilidades necessárias para a profissão

Mesmo gostando da estrutura do curso e ter se interessado pela carreira de um médico, também é necessário levar em consideração algumas habilidades necessárias para a profissão. Uma delas é lidar com o fato de ver sangue e cadáveres durante a faculdade, pois essas etapas fazem parte do processo de formação.

Outro fator é saber se você está preparado para trabalhar de forma flexível, sem uma rotina definida e por longas jornadas. Médicos e residentes são acostumados a fazerem plantões que vão de 12 a 24 horas de trabalho e, muitas vezes, trabalham durante a madrugada.

Esteja disposto a estudar mesmo depois da graduação

Independentemente da universidade, é importante entender que os estudos não acabam com o fim da graduação. É necessário passar, no mínimo, por mais quatro anos de formação depois do curso para fazer residência e especialização.

Saiba que as perspectivas do estudante de Medicina são promissoras, mas é necessário bastante esforço e dedicação integral à formação. Sem contar que um médico precisar estar sempre bem atualizado. Então, já sabe, né? Prepare-se para estudar muito.

Possibilidade de ajudar o próximo

Uma das inspirações e de caráter nobre da Medicina está justamente na possibilidade de ajudar o próximo, seja na prevenção de doenças, no tratamento e cura de enfermidades ou na restauração da saúde, seja por um serviço social ou não. O acompanhamento médico permite que as pessoas tenham mais qualidade de vida e possam aproveitá-la de forma mais saudável.

O momento de fazer essa escolha para o futuro certamente não é fácil, ainda mais quando falamos de uma carreira tão admirada. Estas são algumas dicas que podem te ajudar a decidir se o curso de Medicina é realmente para você, mas não se esqueça de pesquisar a fundo a profissão para tomar uma decisão acertada.

Como saber se eu quero Medicina?

Quando pensamos na profissão que queremos seguir e que vai fazer parte do nosso futuro, é necessário avaliar o conceito de realização. Ou seja, refletir tanto em relação ao ato de realizar alguma coisa quanto à satisfação que sentimos quando realizamos uma atividade. Isso também deve estar em harmonia com as habilidades e vocação.

Escolher fazer um curso sem pensar direito pode ser um erro para a vida acadêmica, pessoal e na carreira profissional. Portanto, antes de tomar essa decisão, conheça os sinais que podem alertar e orientar sobre a escolha certa.

Convidamos você a reflexões imprescindíveis. O curso de Medicina vale a pena no seu caso? Você tem vocação profissional para ser médico e lidar com a vida das pessoas? Está disposto a estudar duro, já que Medicina é uma profissão muito valorizada e consequentemente é concorrido ingressar na faculdade? E mais, para se formar, é necessário muita disciplina e determinação. Essas características fazem parte da sua personalidade?

Outro ponto é: me identifico com a área de Biológicas? Mando bem nessas matérias na escola? Ou sou melhor em Exatas ou Humanas e deveria seguir alguma carreira relacionada a essas áreas?

Realmente escolher a profissão pode ser o primeiro grande desafio que precisamos enfrentar na carreira e por isso é preciso analisar com cuidado todos os prós e contras. Para te ajudar a tornar essa decisão um pouco mais fácil, fazer um teste vocacional para descobrir se Medicina combina com você é uma ótima solução.

Medicina como segunda graduação

Apesar de ser uma profissão muito desejada, ser médico nem sempre é a primeira opção para algumas pessoas. Fazer Medicina como segunda graduação é uma boa alternativa, mas que deve ser analisada com atenção.

Afinal, como já falamos por aqui, iniciar uma carreira é uma decisão importante para a vida de qualquer pessoa. E, quando se trata de uma área tão concorrida e exigente, é natural que um cuidado extra seja necessário, mesmo sendo uma área cheia de oportunidades.

E como toda escolha, optar por fazer Medicina como segunda graduação, também envolve vantagens e desvantagens. Podemos considerar que um dos pontos negativos é ter que dedicar um longo período aos estudos novamente. Além disso, por ser uma formação integral, o estudante precisa dedicar a maior parte do seu tempo, o que também impacta em sua vida financeira.

Por outro lado, há muitos benefícios em tomar essa decisão. Talvez o maior deles seja apostar em uma profissão valorizada e reconhecida, que certamente oferece excelentes oportunidades. A Medicina é uma área ampla, com uma grande demanda e que costuma pagar muito bem.

A prova disso são as diversas áreas de atuação fora das clínicas e hospitais, como por exemplo, para quem segue na carreira militar ou serviço público. A carreira do médico militar é peculiar, mas pode ser incrivelmente realizadora para quem se adequar ao perfil.

Além destas, as tecnologias da informação vêm revolucionando o cuidado com a saúde e surgem novas oportunidades com pesquisas para médicos nesse ramo. A ciência e a tecnologia são os fatores-chave para explicar a redução da mortalidade por várias doenças, como as infecciosas, e o consequente aumento da longevidade dos seres humanos.
Outra vantagem de decidir ser médico depois de já ter feito outro curso é a maturidade nessa nova fase. A experiência de vida pode ser um fator positivo no aprendizado e no desenvolvimento do estudante, já que essa não é a primeira vez que ele vive a rotina universitária.

Isso também acontece quando a pessoa não teve a chance de fazer o curso de Medicina antes e consegue realizar sonhos só depois de seguir outra carreira por algum tempo. Por motivos financeiros, logísticos ou quaisquer outros, não são raros os casos em que o aluno demora um pouco mais do que a média para iniciar a sua graduação.

Como é o curso de Medicina?

A graduação em Medicina é um tipo de bacharelado da área de Ciências Biológicas, com duração média de seis anos. Geralmente, os primeiros quatro anos servem para o aluno aprender de maneira mais ampla como funciona a profissão e os dois anos finais são voltados para a residência médica, onde existe um direcionamento. 

É uma graduação que exige dedicação em período integral, ou seja, as aulas acontecem de manhã e de tarde. Geralmente, o curso se divide em três fases: a grade fundamental, a etapa pré-clínica e a etapa clínica.

Para saber mais detalhes sobre o curso, veja aqui tudo que você precisa saber sobre a graduação em Medicina.

Qual a nota de corte do curso de Medicina?

Para quem quer se formar em Medicina costuma ter que enfrentar as maiores notas de corte entre todas as graduações. No Sisu 2020, por exemplo, a média das notas de corte de Medicina foi de 797,31 pontos. Mas ainda é possível conseguir a aprovação com uma nota menor do que essa! Várias universidades exigiram menos de 750 pontos. Ainda não há como saber qual nota é preciso ter tirado no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para ser aprovado em Medicina pelo Sisu 2021.

As maiores notas de corte para Medicina no Sisu 2020 foram registradas em universidades que bonificaram os estudantes de determinadas regiões. Isto é, houve um acréscimo na nota dos alunos que cursaram o ensino médio em determinadas regiões.

A Universidade Federal do Maranhão (UFMA), por exemplo, deu um acréscimo de 20% na nota do Enem aos estudantes que tivessem feito o ensino médio completo ou o último ano do ensino fundamental naquele estado.

Com essas bonificações, as três maiores notas de corte de Medicina no Sisu 2020 foram na UFMA (ampla concorrência):

  1. UFMA em São Luís: 928,3 pontos
  1. No campi de Imperatriz: 916,92 pontos
  1. Em Pinheiro: 909,29 pontos

Na disputa geral, as maiores notas de corte foram estas, na ampla concorrência:

Maiores notas de corte para Medicina no Sisu 2020


  1. USP (Bauru): 827,86 pontos
  1. USP de São Paulo: 816,69
  1. USP de Ribeirão Preto: 816,14

Como podemos ver, a Universidade de São Paulo (USP) ficou com as três maiores notas de corte. Depois dela temos outras grandes universidades:

  1. UFRJ (Rio de Janeiro): 813,55 pontos
  1. UFMS (Três Lagoas): 809,95
  1. UFSC (Florianópolis): 805,75

As menores notas de corte ficaram para a UFMT (Sinop), na categoria de candidatos com deficiência que tenham renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário-mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas, com 622,28 pontos.

O que é a nota de corte do Sisu?

A nota de corte Sisu (Sistema de Seleção Unificada) é a pontuação mínima necessária tirada no Enem para conquistar uma vaga. Essa nota pode variar de acordo com o curso escolhido, o turno, que na maioria das vezes para o curso de Medicina é integral e a modalidade de concorrência é ampla concorrência ou cotas (sociais ou raciais).

As notas de corte podem ser acompanhadas pelos candidatos durante os dias de inscrição. Elas vão mudando diariamente já que pessoas entram e saem da disputa todos os dias. É possível, por exemplo, se inscrever com uma nota de corte em 750 e no dia seguinte pode estar em 800. Por isso, o acompanhamento deve ser diário, pois, até o último dia de inscrição é possível mudar de curso ou instituição para ter mais chances de ser selecionado com base na nota de corte.

Nota de corte em Medicina no Enem

Para garantir vaga no curso de Medicina, a nota deve ser muito acima da média geral. Quem pretende usar a nota do Exame Nacional do Ensino Médio precisa acertar grande parte das provas objetivas e fazer um texto impecável na redação.

Para tentar uma vaga em Medicina usando a nota de Enem é fundamental se familiarizar com o conceito de nota de corte, que é a pontuação mínima necessária pare entrar em determinado curso.
Ela varia de acordo com alguns critérios:

  • O curso escolhido: no caso, Medicina;
  • A instituição de ensino: que pode ser pública ou privada, dependendo do processo seletivo;
  • O turno: que na maioria das vezes é integral;
  • A unidade: o campus da faculdade;
  • Modalidade de concorrência: ações afirmativas (cotas) ou ampla concorrência;

Se uma instituição oferece 40 vagas de Medicina em determinado processo seletivo, por exemplo, então os 40 alunos com as notas mais altas no Enem irão conseguir entrar. A nota de corte corresponde à pontuação do aluno que ficou em 40º lugar e pode ser desbancada caso outra pessoa entre na disputa e tenha uma nota ainda mais alta.
Enquanto o processo seletivo está rolando, as notas de corte vão mudando todos os dias (afinal, mais gente vai entrando ou saindo da disputa). Por isso é bom ficar ligado. Se você perder seu lugar na fila, pode tentar encontrar outra faculdade que exija uma nota de corte mais baixa.

Os três grandes processos seletivos do governo federal utilizam a nota do Enem. São eles: Sisu, Prouni e Fies. Vale lembrar que para quem for fazer o financiamento estudantil privado Pravaler, não é necessário ter feito o Enem.

Que nota é preciso tirar no Enem para passar em Medicina nos programas do governo?

É no Sisu que está a maior concorrência entre todos os processos seletivos que utilizam a nota do Enem. Quem quiser realmente ter chance de conquistar uma vaga em Medicina em qualquer instituição participante do Sisu precisa tirar uma nota próxima a 850 no Enem e nem assim é 100% garantido: em edições recentes, algumas universidades registraram notas de corte próximas dos 900 pontos.

Porém, não pense que no Prouni (Programa Universidade para Todos) a coisa é mais fácil. A pontuação média para conseguir uma bolsa de estudos em Medicina bancada pelo governo federal fica na casa dos 740 pontos.

Para conseguir um financiamento com o Fies (Fundo de Financiamento Estudantil), a labuta continua. As médias continuam acima dos 700 pontos. Um pouco menores do que no Prouni e no Sisu, mas ainda assim bem altas.

Como passar em Medicina?

Por ser um dos cursos mais concorridos e com grande procura no Brasil, o vestibular em Medicina é bem tradicional e faz com que alunos estudem com muita dedicação para conseguir a tão sonhada vaga. Por isso, mesmo sendo bem parecido com os demais de outras graduações, o que difere é justamente a concorrência, ou seja, o candidato não pode perder nenhuma questão, principalmente as de maior peso.

Como durante a preparação existem inúmeras opções de vestibulares, é importante definir quais são as universidades de sua preferência, conhecer as opções que ela oferece para o ingresso em Medicina e quais são a quantidade de vagas oferecidas, concorrência, pontos de corte e formato da prova.

Os conteúdos cobrados são aqueles que fazem parte da grade curricular do ensino médio:

  • Português;
  • Inglês;
  • Matemática;
  • Raciocínio lógico;
  • Ciências Humanas;
  • Ciências Físicas;
  • Ciências Biológicas;
  • Redação.

Vale destacar que as matérias podem variar de acordo com a instituição de ensino. Por isso, é fundamental ficar de olho no edital — que inclusive é bem detalhado para o curso de Medicina.

Não existe uma fórmula, mas entrar na faculdade de Medicina exige um preparo bem intenso. Depois de ler bem o edital do vestibular que você escolheu, é hora de começar a planejar os seus estudos. Claro, cada instituição tem um tipo de prova, mas a dica é estudar com muito planejamento, mantendo uma rotina saudável e definindo metas para o seu cronograma de estudo.
Conforme for avançando nos estudos, é hora de testar os seus conhecimentos. Para isso, faça alguns simulados, que ajudam a acompanhar o seu progresso e treinar para o dia da prova.

Sempre que precisamos nos preparar para uma prova, a ansiedade se aflora em nosso organismo. E esse sentimento é normal, principalmente quando o assunto é vestibular. No entanto, se começa a impedir que você se concentre nos estudos, esse sentimento pode atrapalhar – e muito – no resultado, trazendo inúmeras inseguranças e frustrações.

Se você sofre com isso, principalmente em época de prova, saiba que nem tudo está perdido! A pressão sempre vai existir, mas com muito empenho e trabalho mental, é possível garantir um resultado justo e sem preocupações excessivas.

Não deu com o Sisu, o que fazer?

Não rolou uma bolsa de estudos com o Sisu? Considere um financiamento!

Se você não tem perfil para participar do Prouni, e conseguir uma bolsa por outros meios está difícil, talvez o financiamento estudantil a juros baixos seja a melhor saída.

Pode não ser a situação ideal para quem realmente precisa de uma bolsa de estudos, mas é uma saída a ser levada em conta se você não quer mais adiar o sonho de estudar Medicina.

O Fies e o Pravaler são soluções que podem simplificar o seu acesso ao ensino superior e, no caso do Pravaler, até alavancar seu crescimento profissional na pós-graduação. Confira as possibilidades de cada um deles de acordo com o seu perfil pessoal antes de tomar a sua decisão.

Agora você já sabe como passar no vestibular de Medicina e está por dentro de todas as possibilidades. Como deu para perceber, o processo é competitivo se comparado ao de outras graduações. Mas, nada de se desanimar! Com uma boa rotina preparatória, bastante dedicação, muito foco e, o principal, sem pânico, conquistar o tão sonhado diploma de médico é mais que possível.

Boa sorte! E conte com o Pravaler para investir no seu futuro como médico.

Pensamos na sua privacidade

Usamos cookies para que sua experiência seja melhor. Ao continuar navegando, você está ciente dos nossos Termos e Políticas.

CONTINUAR