Faça uma simulação com o Pravaler Icone seta
Fies: tudo o que você precisa saber sobre o programa Fies: tudo o que você precisa saber sobre o programa

Fies: tudo o que você precisa saber sobre o programa

O Fies é um programa do governo que facilita o acesso à uma instituição de ensino, dando a possibilidade para estudantes terem um futuro profissional. Ele oferece juros menores nas mensalidades ao longo do curso e o pagamento desse auxílio é feito apenas ao final da graduação.

Nem todo mundo conhece esse benefício e sabe como este tipo de financiamento funciona. Por isso, acabam perdendo a chance de cursar a faculdade que desejam. Entenda como funciona o Fies e veja quem pode solicitar o financiamento. Continue a leitura!

O que é Fies?

O Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) foi criado pelo governo federal em 1999 e é um programa do Ministério da Educação (MEC) que viabiliza o ingresso ao ensino superior.

Este financiamento estudantil é destinado a jovens de baixa renda que desejam fazer sua graduação em cursos de instituições privadas. No entanto, diferentemente de outros programas, o Fies tem como diferencial que somente depois da conclusão do curso é que o estudante começará a realizar o pagamento do Fies com parcelas mais acessíveis a quantia emprestada para financiar seus estudos.

Vale ressaltar que, o estudante que optar por solicitar o Fies, não será contemplado com uma bolsa de estudos, mas sim com um empréstimo a longo prazo, com pagamento facilitado e taxas de juros reduzidas ou zeradas.

Veja também: Diferenças entre bolsa de estudos e financiamento estudantil.

O Fies já beneficiou cerca de dois milhões de estudantes e faz parte de uma série de iniciativas do governo para facilitar o acesso ao ensino superior. Além dos juros baixos, outra grande vantagem do programa é o prazo estendido para pagar a dívida, que só começa a contar depois da formatura.

O Novo Fies

O programa de financiamento passou por diversas reformulações ao longo dos anos e, em uma das suas últimas mudanças, passou a ser conhecido como o Novo Fies. Intitulando-se como um financiamento mais moderno.

Com isso, alguns pontos do projeto foram reajustados. O programa passou a ser dividido em três diferentes modalidades: a modalidade Fies (ou modalidade I), onde o financiamento é ofertado diretamente pelo governo ao estudante e a modalidade P-Fies ou (modalidade II e III), onde o financiamento é ofertado por outras instituições financeiras, mas com recursos públicos.

Como funciona o Fies?

Ao início de cada semestre letivo, o Fies abre inscrições para os candidatos que desejam concorrer a um contrato de financiamento estudantil. Os selecionados contam com o auxílio do governo federal para o custeamento das mensalidades do curso, até a sua conclusão. Após o fim da graduação, o beneficiado deverá devolver o valor financiado pelo governo em parcelas mensais.

O financiamento da mensalidade estudantil possui três fases que são divididas de acordo com o nível de envolvimento do estudante com a dívida. Entenda abaixo como funciona o Fies:

Financiamento durante o curso

Durante o período em que o aluno está cursando a graduação, é necessário pagar apenas o valor referente ao encargo operacional fixado em contrato. O custo total do seguro de vida exigido para a contratação do financiamento também deverá ser pago durante a realização do curso.

Período de Carência e Amortização

Desde 2018, o Fies não conta mais com o Período de Carência para início do pagamento da dívida. Portanto, ao concluir seu curso o estudante já inicia a fase de amortização. Veja as situações:

  • Caso o estudante tenha um emprego ou abra uma empresa após se formar, as parcelas serão descontadas automaticamente da fonte de renda, de acordo com um cálculo previsto pelo governo;
  • Se o estudante não possuir renda em qualquer momento da amortização, o financiamento deverá ser quitado em prestações mensais equivalentes ao pagamento mínimo.

Todos os valores devem ser pagos diretamente às instituições em que os serviços foram contratados. O governo estima que o prazo máximo para quitação da dívida seja de 14 anos.

Como conseguir o Fies?

Para muitos estudantes brasileiros, o Fies é o único caminho para conseguir fazer um curso superior. Só que conseguir uma vaga no programa não é moleza.

O primeiro passo para conseguir o Fies é saber se você se encaixa nos pré-requisitos do programa. Para que o aluno possa participar do Fies, é preciso primeiramente que ele esteja matriculado em uma instituição de ensino privada.

Contudo, este não é único critério. A instituição deve obter um conceito maior ou igual a três no Sistema Nacional de Avaliação de Educação Superior (SINAES). Veja a seguir todo o processo para obter o financiamento, desde a escolha do curso até a matrícula.

Quem pode participar do Fies?

Só pode participar da seleção os estudantes que:

  • Fizeram a prova do Enem a partir de 2010, com desempenho de pelo menos 450 pontos na média das provas e nota acima de zero na redação (precisa ser da mesma edição);
  • Tem renda familiar bruta mensal de até três salários-mínimos por pessoa para quem deseja concorrer na modalidade Fies e até cinco salários-mínimos para o P-Fies.

Não podem participar do processo seletivo do Fies os candidatos que se enquadrem em qualquer das situações a seguir:

  • Estejam matriculados em alguma faculdade e tenham trancado as disciplinas até o momento da inscrição;
  • Já tenham sido beneficiados com o Fies antes;
  • Estejam inadimplentes com o Programa de Crédito Educativo (PCE/CREDUC);
  • Já tenham bolsa integral pelo Prouni (Programa Universidade para Todos);
  • Não atendam aos critérios de renda familiar e nota mínima no Enem.

Estudantes já graduados podem participar do Fies?

O MEC autorizou o Fies para a segunda graduação, mas não há garantias para abertura de novas vagas todo semestre. Os candidatos já graduados em um curso do ensino superior que realizarem a prova do Enem e conquistaram os resultados necessários para sua aceitação, só terão chances no processo seletivo do Fies se as oportunidades não forem ocupadas por estudantes ainda não graduados.

Portanto, o Fies é possível para segunda graduação, mas os candidatos precisam se preparar para enfrentar uma concorrência acirrada. Isso porque o programa dá prioridade aos candidatos que ainda não possuem diploma de ensino superior.

Como funciona o processo para conseguir o Fies?

As inscrições do Fies são online e acontecem duas vezes por ano, geralmente nos meses de janeiro (Fies do 1º semestre) e maio (Fies do 2º semestre). É preciso se inscrever dentro do prazo previsto no edital.

Para conseguir o financiamento a juros baixos do Fies, o candidato precisa participar de um processo seletivo bem concorrido. Assim que abrem as inscrições, os interessados devem acessar a página do Fies Seleção e fazer o cadastro, geralmente por meio de CPF e senha.

O sistema faz algumas perguntas simples e depois busca automaticamente a edição do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) em que o candidato se saiu melhor, caso tenha participado de mais de uma.

Depois disso, é preciso escolher o curso e a faculdade entre as opções disponíveis. Enquanto as inscrições estiverem abertas, é preciso verificar se a sua nota do Enem é suficiente para continuar na disputa pela vaga escolhida.

Nota de Corte e cursos mais procurados

O Fies divulga as notas de corte – a menor pontuação que garante ao estudante a chance de obter o financiamento. As notas de corte variam enquanto as inscrições estão abertas, de acordo com o desempenho dos candidatos que disputam uma mesma vaga, mesmo curso, faculdade, turno e unidade naquela edição. Vale ressaltar que ter o desempenho igual a nota de corte não garante o ingresso a vaga, o desejável é uma nota superior a ela.

Cursos muito procurados e caros, como Medicina, Odontologia e Engenharia, geralmente exigem uma pontuação mais alta, às vezes próxima a 780 pontos.

No Fies, as notas de corte mudam todos os dias até o final da seleção. É preciso estar atento às variações da concorrência para não ficar de fora. Se a sua pontuação for maior que a nota de corte apresentada no sistema, você tem boas chances de conseguir o benefício. Caso contrário, o jeito é procurar outra faculdade ou outro curso.

Seleção e documentação necessária

Caso seja pré-selecionado, o candidato deve apresentar todas as documentações comprobatórias exigidas pelo Fies e pela faculdade para complementar sua inscrição. Sendo classificado, deve contratar o seguro de vida e fechar o contrato de financiamento com um agente financeiro em até 10 dias úteis após a aprovação no Fies.

Depois da aprovação, o candidato terá alguns dias para fazer um cadastro bastante detalhado no SisFies, o sistema que vai possibilitar a formalização do financiamento mais adiante.

Será necessário preencher com os dados pessoais e de comprovação de renda das pessoas da família que moram na mesma casa. Após essa etapa, é hora de validar toda a documentação apresentada no sistema junto à Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) que fica na faculdade e terá que se dirigir a uma das instituições bancárias autorizadas para fazer a contratação do financiamento. Em boa parte dos casos, é preciso também ter um fiador, que é a pessoa que dará garantias ao banco de que a dívida será paga.

Se tudo der certo em todas as etapas, o Fies passará a valer a partir do período determinado no sistema.

Qual a porcentagem aprovada pelo programa?

A porcentagem aprovada para o Fies varia de acordo com a renda familiar, portanto, uma avaliação é realizada antes da concessão do benefício.

Bolsistas do Prouni podem solicitar o Fies?

Se o estudante for contemplado com bolsa parcial via Prouni (Programa Universidade para Todos), poderá participar também do processo seletivo do Fies e solicitar o financiamento da segunda parte da mensalidade da graduação.

No entanto, é obrigatório que o bolsista utilize o financiamento solicitado ao Fies no mesmo curso que conquistou a bolsa via Prouni. Veja aqui as diferenças entre o Prouni e Fies!

Quais cursos estão disponíveis no Fies?

O Fies só está disponível para cursos presenciais que sejam bem avaliados e aprovados pelo MEC. As opções são diversas indo desde graduações mais rápidas, como por exemplo Gestão Financeira, até as mais longas e caras, como Medicina.

Os cursos estão disponíveis em faculdades particulares de todo o Brasil. Veja algumas opções que costumam estar disponíveis todo semestre.

  • Administração
  • Análise e Desenvolvimento de Sistemas
  • Arquitetura e Urbanismo
  • Biomedicina
  • Ciências Biológicas
  • Ciências Contábeis
  • Design Gráfico
  • Direito
  • Educação Física
  • Enfermagem
  • Engenharia
  • Farmácia
  • Filosofia
  • Física
  • Fisioterapia
  • Fisioterapia
  • Geografia
  • Gestão de Recursos Humanos
  • Gestão de Turismo
  • Gestão Financeira
  • História
  • Jornalismo
  • Letras
  • Matemática
  • Medicina
  • Nutrição
  • Odontologia
  • Pedagogia
  • Psicologia
  • Publicidade e Propaganda
  • Química
  • Sociologia
  • Turismo

Para saber se o curso em que você está interessado pode ser financiado pelo Fies, consulte o site do Fies Seleção durante o período de inscrições.

Quais faculdades participam do Fies?

O Fies só trabalha com faculdades bem avaliadas pelo Ministério da Educação. Isso dá ao candidato duas grandes garantias: de que o dinheiro será bem investido e que o diploma será bem aceito no mercado de trabalho. Portanto, antes de escolher a universidade, confira a avaliação do MEC.

Confira algumas instituições reconhecidas e bem avaliadas pelo MEC que costumam participar do Fies:

Como se inscrever no Fies

A inscrição é feita no próprio site do Fies, utilizando o login do portal Gov.br, e a plataforma recomenda realizá-la pelos navegadores Internet Explorer ou Mozilla Firefox. Veja a seguir o passo a passo.

  1. Acesse portalfies.mec.gov.br e clique em “Minha inscrição”;
  2. Em seguida, selecione “Entrar com gov.br”;
  3. A inscrição é feita com a conta do gov.br, uma espécie de cadastro único para serviços digitais do governo. É possível criar uma conta no botão à esquerda da tela destacado em verde ou prosseguir com CPF e senha;
  4. Em seguida, é preciso passar por quatro etapas para a inscrição. Na primeira, confirme seus dados e preencha o RG e endereço. Em seguida, valide o reCAPTCHA e clique em “Gravar e avançar”;
  5. Na tela seguinte, informe os dados e responda ao questionário. Marque as respectivas opções e avance novamente;
  6. Esta etapa consiste em preencher o grupo familiar. Informe nome, data de nascimento, CPF e renda individual mensal bruta. Caso você more com outros familiares, é necessário preencher com as informações de cada um.

Como selecionar o curso?

Depois da inscrição vem a etapa de escolha do curso e a instituição de ensino através da ferramenta de pesquisa. Siga o passo a passo!

  1. Clique na aba “Selecione seu Grupo de Preferência”. Em alguns casos, é possível escolher até três opções de curso;
  2. Selecione o estado, município e toque em “Avançar”;
  3. Em seguida, confira os resultados da pesquisa e selecione a opção desejada. A tabela informará o valor da mensalidade para o primeiro semestre do curso. Selecione o curso, que ficará destacado em verde e toque no botão “Gravar” para prosseguir.

Como simular o financiamento do curso?

Antes de confirmar a inscrição, é possível realizar uma simulação do financiamento.

  1. Clique no botão em destaque na parte inferior da tela;
  2. Preencha os dados solicitados, role a tela e pressione “Simular” para poder obter os resultados;
  3. Feita a simulação, retorne à tela anterior;
  4. Clique no botão “Gravar e avançar” para finalizar sua inscrição. A plataforma exibirá um comprovante do procedimento.

Quanto custa o Fies?

O estudante que consegue o Fies tem dois tipos de pagamentos a fazer:

  • Parcelas trimestrais: são referentes aos juros do financiamento e tem o valor máximo definido no edital de cada edição. Essas parcelas devem ser pagas durante todo o curso financiado e até um ano e meio após a formatura.
  • Parcelas mensais: começam a ser pagas após a conclusão do curso e o valor vai depender de fatores como a duração do curso financiado, mensalidade, renda do estudante, valor financiado, etc. Cada contrato é único e, caso seja selecionado, você terá acesso a todos os valores exatos.

Como funciona o pagamento do Fies?

Por ser um financiamento, o estudante recebe uma ajuda para pagar a faculdade e, no prazo previsto no contrato, deve devolver esse valor para quitar a dívida. No Fies, os juros são mais baixos do que os cobrados no mercado e o prazo para quitação é maior.

Existem duas etapas de pagamento do Fies:

  • Pagamento durante os estudos na faculdade;
  • Pagamento depois de concluir o curso.

Durante os estudos, o beneficiado tem dois compromissos financeiros obrigatórios: o pagamento de seguro de vida e o pagamento do encargo operacional fixado no contrato do Fies (a taxa de coparticipação).

O que acontece se não pagar o Fies?

Essa é uma situação muito ruim e que gera consequências. Por exemplo, quem estava inadimplente não pôde fazer o acordo de suspensão das parcelas durante a pandemia. Não arcar com a responsabilidade assumida na assinatura do contrato pode trazer problemas e impedir que novos benefícios sejam conseguidos.

Veja também: Renegociação do Fies – saiba como fazer!

Também é importante saber que o Fies debita diretamente na conta corrente do contratante as parcelas, e há várias situações em que o contrato pode ser prorrogado — em caso de desemprego, por exemplo, é possível pedir a dilatação do Fies.

Como declarar financiamento estudantil no Imposto de Renda?

Sim, os gastos com educação também podem ser declarados no Imposto de Renda e o financiamento estudantil faz parte desse tipo de gasto, o que pode diminuir significativamente a “mordida” do fisco para quem declara esse tipo de despesa.

Mas, antes de entrar nesse assunto, é importante esclarecer alguns detalhes importantes. O imposto de renda é o valor a ser descontado dos ganhos – ou rendimentos – dos cidadãos brasileiros, tanto de pessoas físicas como pessoas jurídicas. Esse montante é destinado ao governo federal, que direciona esse dinheiro para gastos públicos como saúde, educação, infraestrutura e outras demandas.

Enquanto você estiver fazendo a faculdade, os valores pagos a ela – ainda que intermediados pelo Fies – devem ser lançados no campo “Pagamentos Efetuados”, com o código “01 – Instrução no Brasil”.

Pagamentos Efetuados

Nesse campo, também é possível escolher se a despesa se refere ao titular do CPF – nesse caso, aquele que financia a própria educação; aos dependentes, como pode ser o caso de filhos maiores de idade ou cônjuges; e alimentandos, ou seja, que recebem pensão alimentícia de um dos responsáveis legais.

Para completar a declaração, o valor total do empréstimo que você conseguiu pelo Fies também deve ser declarado como uma dívida, mesmo que você não esteja mais fazendo o curso. No campo “Dívida e Ônus Reais”, insira o código “13 – Outras Pessoas Jurídicas” e informe o saldo da dívida no último dia do ano anterior.

Dividas E Onus Reais

É importante lembrar que, eventualmente, a Receita Federal pode solicitar os comprovantes do que foi informado para checar se há inconsistência na declaração. Dessa forma, é recomendado que você guarde os comprovantes de pagamento por cinco anos.

Como solicitar a suspensão do Fies?

A suspensão do financiamento pode ser solicitada pelo estudante pelo período de até um ano e não tem cancelamento. Geralmente, o pedido pode ser feito até maio para suspensão no primeiro semestre e de julho a novembro para o segundo. Lembrando que isso tem que ser feito até o dia 15 do mês para que entre em vigor no dia primeiro do mês seguinte.

Devido à pandemia e à situação de calamidade pública decretada no país, os estudantes com parcelas financiadas pela Caixa Econômica Federal podem solicitar suspensão de até quatro parcelas do saldo devedor — ou enquanto durar a situação, conforme determinação do governo.

Como estudar pagando menos sem o Fies

É isso mesmo! É possível começar a faculdade sem o Fies. O Fies não é a única alternativa para quem quer estudar pagando menos e a longo prazo. É possível financiar uma graduação presencial – e também EAD – diretamente na faculdade privada, sem burocracia.

Existe a possibilidade de ingressar direto em um curso usando a nota do Enem e recebendo bolsa de estudo de até 100%. Esse tipo de ingresso varia conforme a faculdade.

Além disso, outra opção é o financiamento estudantil privado do Pravaler, crédito universitário que pode ser contratado semestralmente e que permite parcelar as mensalidades a juros bem baixos com um ano de prazo de pagamento. Ficou interessado? Então entenda melhor a diferença entre Fies e Pravaler e veja qual a melhor opção para você!

Botao Simule Financiamento 2

Texto escrito por: PRASABER
x

As principais notícias sobre educação na sua caixa de e-mail. Cadastre-se já!

Saiba mais

Pesquisar

Artigos Relacionados

Simule o seu financiamento e descubra quanto pagará por mês:

Declaro que li, conheço e estou de acordo com as Políticas de Privacidade e Cookies do Pravaler.

Pensamos na sua privacidade

Usamos cookies para que sua experiência seja melhor. Ao continuar navegando, você está ciente dos nossos Termos e Políticas.

CONTINUAR